Hapvida usa TI no controle de atendimento

Apesar de a maior parte das empresas punidas pela ANS serem pequenas, a pressão faz com que os planos grandes invistam em soluções para melhorar seus índices. A Hapvida, por exemplo, com mais de 1,5 milhão de clientes, convidou a imprensa, em sua sede em Fortaleza, para mostrar sua nova central de controle de atendimento, baseada em tecnologia da informação e filmagem em tempo real dos locais de atendimento. A empresa não informa o quanto investiu na solução.

Segundo o presidente da Hapvida, Jorge Pinheiro, o sistema detecta o tempo de espera de cada paciente, por identificação biométrica (leitura das digitais) e identifica o porquê do atraso, pelo número de médicos atendendo no momento ou por meio de vídeos, que mostram em tempo real o número de pessoas em todas as emergências. O sistema só é possível porque a Hapvida opera num sistema verticalizado. Os hospitais da rede são de sua propriedade. No Recife, por exemplo, existem cinco unidades hospitalares com mais de 300 leitos, segundo o executivo. “Fizemos pesquisa com nossos clientes e o tempo de espera aceitável numa emergência, segundo eles, é de 15 minutos”, comentou. A empresa informa que vem cumprindo esse prazo em 75% dos atendimentos.

Os bons resultados não acontecem só na emergência, avalia o empresário. Todas as metas de aprazamento vêm sendo cumpridas na maioria dos casos, informa. Sua metas são inferiores ou iguais ao prazo determinado pela ANS. Consultas pediátricas, por exemplo, levam 5 dias para serem marcadas pela Hapvida, enquanto a ANS determina até 7 dias. O Hapvida é bem avaliado pela ANS em termos de atenção à saúde, mas seu índice de reclamações está bem acima da média das empresas de seu porte, 1,14 contra 0,76.

Fonte: Jornal do Commercio

Sobre

Fernanda Alves é estudante de Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap). Atualmente está cursando o sexto período da graduação.